Caracterização

GEOGRAFIA
Montemor-o-Velho situa-se no centro de Portugal, aproximadamente entre as coordenadas latitude 40ºN e longitude 8ºW. Administrativamente pertence ao distrito de Coimbra e à sub-região do Baixo Mondego. A União das Freguesias de Montemor-o-Velho e Gatões confronta com as Freguesias de Seixo de Gatões, Carapinheira, Ereira, União das Freguesias de Abrunheira, Verride e Vila Nova da Barca, Santo Varão e Liceia (Concelho de Montemor-o-Velho) Ferreira-a-Nova (Concelho da Figueira da Foz) e Alfarelos (Concelho de Soure). 
Fazem parte da União de Freguesias as povoações de Areal, Bom de Água, Casal Novo do Rio, Casal do Raposo, Casal dos Silvas, Fonterma, Fonte Quente, Forno da Cal, Moinho da Mata, Montemor-o-Velho, Quinhendros, Quinta Água dos Ferreiros, Rego de Água, Torre, Casal do Jagaz, Casal de Nossa Senhora, Casal de São João, Gatões, Quinta da Belveia, São Jorge, Serrinha e Vale-Grande.  
 
Existe uma clara distinção entre os terrenos do campo, na margem esquerda do rio e que são fundamentalmente de cultivo de arroz e milho, e os terrenos do monte, mais arborizados, onde aparece a vinha, o olival e proliferam os pequenos aglomerados populacionais.
A paisagem dos campos do Mondego sofreu grandes transformações ao longo dos séculos. Desde que os homens se fixaram nestas paragens que o esforço se centrou no desbravamento dos campos e no desbaste da vegetação. Esse esforço foi particularmente intenso nos séculos XII, XIII e XIV com o arroteamento de terras, a secagem de pauis e a introdução, a partir do século XVI, da espécie que definitivamente marcará a paisagem, o milho maíz.
Algumas espécies de árvores típicas das proximidades dos rios, como são os salgueiros, choupos, freixos e ulmeiros, quase desapareceram, e outras, caso do eucalipto, foram introduzidas de forma desordenada e são hoje um elemento importante da paisagem.
Os pauis constituem os últimos vestígios da paisagem de outrora. São zonas húmidas, durante bastante tempo consideradas terras inúteis e por isso sujeitas à drenagem para posterior utilização agrícola. Actualmente são consideradas zonas ecológicas de primordial importância devido à sua enorme diversidade biológica: com uma flora constituída por caniçais, canaviais, juncos e nenúfares, são habitat de aves sedentárias e migradoras, local de desova e crescimento de peixes e anfíbios, habitat de mamíferos e répteis. Funcionam ainda como reservatório de água e fazem a depuração da mesma, contribuindo para a amenização do clima aumentando a humidade atmosférica.
.
A sua importância estratégica fez desta vila um pólo de atracção, tendo recebido o primeiro foral em 1212. Montemor foi ainda, durante séculos, terra de infantado, primeiro de D. Sancho e D. Teresa, depois de D. Afonso IV (1322), mas também de D. Pedro, Duque de Coimbra (1416). Em 1472, D. Afonso V faz Marquês de Montemor-o-Velho D. João de Portugal, mais tarde Duque de Bragança.
 
ECONOMIA
Montemor-o-Velho, que em tempos foi terra de agricultores, está hoje virada para as actividades do sector terciário, em parte devido à instalação das repartições da administração, instituições financeiras e de serviços; o pequeno comércio é variado. A indústria está representada com vários estabelecimentos fabris de pequena e média dimensão.
A agricultura continua a ter grande importância. Cultiva-se o milho e o arroz com recurso a processos cada vez mais modernos e a existência de uma Escola Profissional Agrícola, a par da Cooperativa e dos serviços da Zona Agrária da DRABL, contribuem com o saber técnico que permite melhorar a produtividade dos campos.
.
PARQUE DE NEGÓCIOS
No entroncamento da saída da A14 (Montemor-o-Velho) com a E.N. 111, localiza-se um novo espaço empresarial de elevada qualidade, com uma envolvente paisagística e ambiental única.
O Parque de Negócios de Montemor-o-Velho destina-se a empresas de serviços e industriais com necessidades específicas de condições de trabalho e de imagem.
Espaços de restauração, bancários, comerciais e de uma creche, contribuem para a melhoria das condições de trabalho e permitem uma elevada eficiência na condução dos negócios.
O Parque de Negócios de Montemor-o-Velho é um dos espaços mais atractivos para a instalação de empresas que visam atingir níveis de excelência dos seus negócios e se preparam para competir no mercado global.
 
DEMOGRAFIA
Valores apresentados com base nos resultados do Instituto Nacional de Estatistica, Censos 2011. 
 
População Residente Total - 3670
 
População Residente Homens - 1764
 
População Residente Mulheres - 1906
 
População Presente Total - 3543
 
População Presente Homens - 1668
 
População Presente Mulheres - 1875
 
Famílias - 1393
 
Alojamentos  - 1972
 
Edifícios - 1568